Bem-vindo ao nosso site.

Comunicação Total

Olá aqueles que se interessam a assuntos relacionados à surdez.

 

Resolvi fazer este blog principalmente para os pais de filhos deficientes auditivos ou surdos; quando vamos pesquisar assuntos relacionados a isto encontramos apenas tese de mestrado ou monografias, palavras como aquisição da lingüística, concepção do desenvolvimento neurossensorial, feedback, etc... longas e cansativas dissertações, com todo respeito aos profissionais e gratidão; mas é importante que a linguagem a uma mãe que acabou de receber o diagnóstico de surdez de seu filho seja simples e objetiva.

Vou contar um breve relato de como aconteceu comigo:

Minha filha então com dois anos, ainda não falava, resolvi levá-la a um médico foniatra professor de uma grande universidade que me disse fazendo um exame com diapasão que ela ouvia perfeitamente bem, questionei com ele e pedi um exame mais confiável e foi realizado o BERA  onde constatou surdez profunda bilateral.

Um novo mundo se abriu para mim que não sabia por onde começar, fui procurar uma fonoaudióloga da qual era oralista e eu ainda não estava familiarizada com estes termos, (bilíngüe e oralista) então não sabia bem como agir, mas já na primeira consulta pude perceber como seria, ela me disse que ensinaria as palavras para minha filha questionei o que eu faria em casa já que vinte e três horas do dia ela estaria comigo, percebi que seria necessário a língua de sinais até ela desenvolver a fala, os sinais seriam mais rápidos e a comunicação seria efetiva, fui atrás de cursos de LIBRAS, comprei livros e minha vida de apenas mãe se transformou  também em professora, pesquisadora, psicóloga e advogada, meu jeito crítico me fez estudar e analisar tudo que me diziam a respeito e a única coisa que posso sem dúvida esclarecer a vocês pais, é  que a comunicação é o único caminho para o sucesso do seu filho, você é o responsável por isso e sozinho não dá,  busque ajuda de profissionais e surdos adultos, tendo em mente que a sua comunicação com seu filho é a coisa mais importante no mundo neste momento de aprendizado para ambos e que você vai educá-lo para o mundo para ele ser bem sucedido na vida.

Não pense nunca que é difícil demais e que você não é capaz, a única diferença de se educar uma criança surda é que você precisará aprender uma nova língua para haver comunicação, nunca o trate diferente dos irmãos ouvintes ou lhe dê privilégios, lembre-se você quer educá-lo para enfrentar o mundo, ser corajoso,  e não criar um melindrado com medo de lidar com as dificuldades que a vida lhe apresentar, você não estará sempre presente. 

No meu caminho para a educação da minha filha eu enchi a casa de papeizinhos pregados nas portas, geladeiras, mesa, cadeira, televisão, fogão, enfim tudo era nomeado, eu mostrava a palavra escrita e fazia o sinal correspondente pra ela, e aos poucos aquelas mãozinhas começaram a falar, e sua visão sempre atenta na minha boca, na leitura labial fizeram dela hoje com dezessete anos uma surda oralizada com leitura labial perfeita e LIBRAS, é daquela surda que quando fala se a pessoa não sabe pensa que ela é estrangeira pelo sotaque e aparência, eu não descartei a ajuda de uma profissional não, ela freqüentou por alguns anos uma fonoaudióloga quando ainda era criança, o meu lado professora me fazia sentar com ela no chão e transformar uma brincadeira de achar o par em oportunidade para ela aprender palavras novas.

Estou resumindo o máximo que consigo da nossa historia não quero um texto longo e cansativo.

Bom, mudamos de cidade e eu entrei com uma ação na justiça para ela ter interprete na sala de aula da qual ganhamos e hoje ela está no terceiro colegial e uma intérprete paga pelo estado a acompanha nas aulas, auxiliando no que ela precisa com relação à comunicação. Olha o meu lado advogada aí, que precisou lutar e ter incansáveis momentos com professores e diretoras de escola para garantir uma educação eficiente para ela e não apenas uma criança que copiava a matéria da lousa.  

Quero apenas, queridos pais que possuem uma linda criança surda, dizer para não desistirem.

Sigam estas dicas:

  • Não perca a alegria pela vida;

  • Aprenda Libras mesmo que se ache desajeitado nos sinais;

  • Demonstre seu amor;

  • Olhe nos olhos sempre que conversar com seu filho;

  • Mantenha sua fé.

Parece pouco e fácil seguir estas dicas, mas é pra ser assim mesmo, a vida não é pra ser complicada, pesada e sofrida, é para ser leve, fácil e feliz.

Então, escolha ser feliz.

Um abraço

Paula Martelato

 

 

 

 

Comunicação Total

 

A Comunicação Total, como o próprio nome indica, não exclui técnicas e recursos para estimulação auditiva, adaptação de aparelho de amplificação sonora individual, leitura labial, oralização, leitura e escrita.

Pelo contrario, prega uma completa liberdade na pratica de quaisquer estratégias que permitam o resgate de comunicação, seja por meio da linguagem oral, de sinais, da datilologia, ou pela combinação desses modos.

valoriza a comunicação e a interação e não apenas a língua. Seu objetivo maior não se restringe ao aprendizado de uma língua. Outro aspecto a ser salientado é que esta filosofia respeita a família da criança com surdez. Acredita que cabe à família o papel de compartilhar valores e significados, formando, junto com a criança, através da possibilidade da comunicação, sua subjetividade.

(CICCONE, 1990).

Comunicação e Saúde

03/12/2012 12:19

 

“A comunicação confunde-se com a própria vida. Temos tanta consciência de que comunicamos como de que respiramos ou andamos. A comunicação é uma necessidade básica da pessoa humana, do homem social”.

Juan Diaz Bordenave (Livro: O que é comunicação)

 

Com as várias formas de comunicação passamos informações do que a mente pensa, ou da forma como um trabalho é realizado, uma expressão de arte, um cumprimento, uma emoção, tudo ao nosso redor é comunicação, nós mesmos somos uma forma de expressão e quando não conseguimos expor ou mesmo entender a comunicação do outro entramos num estado de falta de conforto.

A saúde é definida como um completo bem estar físico, mental e social; e como atingir este estado de bem estar sem informação, sem interação, sem empatia, como John Donne disse “nenhum homem é uma ilha”.

Respiramos o mesmo ar, vivemos no mesmo planeta.

Por que então, com tantas formas de comunicação e com o avanço da medicina o homem ainda adoece?

Não sei a reposta, posso divagar sobre ela: será a informação mal transmitida? A mídia com valores invertidos? Pais que não tem tempo para dar palavras e carinhos? Vizinhos que não se falam? Falta do básico para subsistência? Falta de acesso a medicamentos e tratamento? Ou apenas a fragilidade do homem?

Com certeza é bem mais complexo e tudo é um conjunto de fatores que permeiam entre o bem estar e o desconforto do homem.

Então...

Comunique-se, ame, divirta-se, viaje, sorria, chore, arrisque-se, trabalhe, descanse, durma, corra, ande, aprenda, ensine... enfim VIVA

Paula Martelato